dg5

dg5 has created 76 entries

  • Férias de julho no Praça Nova tem diversão e muitas atrações

    A programação de férias do Shopping Praça Nova Santa Maria está imperdível! Até o 29 de julho, crianças de todas as idades poderão participar de atividades, brincadeiras, campeonatos e ainda aproveitar atrações como o Museu Egípcio Itinerante, Invasão Alien e o Safari Club, instalado na Praça de Eventos, com escorregadores, piscina de bolinhas, pontes e muito mais. Os clientes ainda podem aproveitar todas as atrações das lojas Zig Zag, Tridoo, conferir as estreias no Cinépolis e saborear aquele lanche após a diversão.

    Caça ao Cupom – Uma das novidades das férias no Praça é a “Caça ao Cupom Premiado” da Tridoo, no dia 28 de julho. Podem participar crianças de 2 a 12 anos, acompanhadas dos responsáveis, e devidamente inscritas. As inscrições começam no dia 23, na loja Tridoo. Os cupons serão espalhados em vários locais e deverão ser validados na Tridoo para resgate do desconto indicado. A saída da brincadeira será às 16h.

    Mais informações no regulamento completo disponível no site.

    Campeonato de Uno – Quem não gosta de brincar de Uno? No dia 22 de julho, às 15h30, acontece o Campeonato de Uno do Praça Nova, em parceria com a Lends Club. Para participar é preciso inscrever-se no site do Shopping.  Qualquer pessoa, acima de 7 anos, pode participar. O campeonato seguirá o formato suiço, com acúmulo de pontos ao final de três rodadas. E tem prêmios para os três primeiros lugares! O primeiro colocado  ganha uma associação Box na Lends Club Tabuleira, um jogo UNO e uma carta promocional.

    Para visualizar o regulamento, clique aqui.
    Clique para fazer a sua inscrição.

    Just Dance – Se a melhor diversão para você é dançar, então o Just Dance  é o seu lugar. A ação acontecerá nos dias 21,22, 28 e 29 de julho, das 15h às 19h. Qualquer pessoa acima dos 8 anos pode participar, mediante cadastro simples no local. Cada participante poderá escolher a sua música e brincar uma vez por dia. É permitido somente duas pessoas por vez.


    Confira a programação completa:

     

    Dia 20/07

    * Jogos de Tabuleiro, com Lends Club
    Horário: 19h
    Local: Praça Palco, ao lado das Americanas.

    Atividade gratuita

     

    Dia 21/07

    * Espetáculo Vintage – La Vie
    Horário: 19h30min
    Local: Praça Palco, ao lado das Americanas.

    Atividade gratuita

     

    * Just Dance
    Horário: das 15 às 19h
    Local: Praça de Alimentação

    Clique aqui para visualizar o regulamento.

    Inscrições na hora.
    Atividade gratuita.

     

    Dia 22/07

    * Dança Kids – Smart fit 
    Horário: 17h
    Local: Praça de Eventos.

    Atividade gratuita

     

    * Campeonato de Uno – Lends Club

    Horário: 15h30min
    Local: Praça Palco, ao lado das Americanas.

    Com inscrições no link.

    Atividade gratuita

     

    * Just Dance
    Horário: das 15 às 19h
    Local: Praça de Alimentação

    Clique aqui para visualizar o regulamento.

    Inscrições na hora.
    Atividade gratuita.

     

    Dia 26/07

    * Mini- Cheff – Oficina de mini-pizza Patroni
    Horário: 16h
    Local: Boliche Sports Bar
    De 3 a 12 anos

    Com inscrições no local por ordem de chegada.
    Serão três turmas com 15 crianças cada.

    Atividade gratuita.

     

    Dia 27/07

    * Peppa Pig – desenhos, brincadeiras e sorteios.

    Horário: 16h
    Local: Superlegal

    Atividade gratuita

     

    * Pinturinha de rosto

    Horário: 17h
    Local: Linda Box

    Atividade gratuita

     

    Dia 28/07

    * Caça ao Cupom Premiado (Tridoo)

    Horário: 16h – Saída da Tridoo
    Inscrições limitadas na Tridoo – até 12 anos

    Clique aqui para visualizar o regulamento.

    Atividade gratuita

     

    * Just Dance
    Horário: das 15 às 19h
    Local: Praça de Alimentação

    Clique aqui para visualizar o regulamento.

    Inscrições na hora.
    Atividade gratuita.


    Dia 29/07

    * Just Dance
    Horário: das 15 às 19h
    Local: Praça de Alimentação

    Clique aqui para visualizar o regulamento.

    Inscrições na hora.
    Atividade gratuita.


    * Degustação Polishop

    Horário: 16h
    Local: Polishop

     

    Oficina de Percussão Atoque
    Oficina de musicalização infantil para crinças

    Local: Praça Palco, ao lado das Americanas.

    Horário: 17h
    De 4 a 12 anos

    Com inscrições no local por ordem de chegada.
    Serão quatro turmas com 20 crianças cada.

    Atividade gratuita.

     

     

  • Varejo de vestuário deve crescer 4% em volumes em 2018

    Após dois anos de dificuldades (2015 e 2016), onde o varejo de vestuário no Brasil acumulou queda de 11% no volume de peças comercializadas, 2017 registrou uma importante recuperação das vendas para o setor. Para 2018, o IEMI Inteligência de Mercado, instituto especializado em estudos de mercado, varejo e comportamento de compra dos setores têxtil e vestuário, projeta expansão de 4% no volume de peças comercializadas pelo varejo. “Apesar de possíveis turbulências com o cenário eleitoral, os varejistas têm motivos para ficarem otimistas, uma vez que a expansão estimada de aproximadamente 3% do PIB deve empurrar a economia como um todo”, disse Marcelo Prado, diretor do IEMI.

    Para Prado, o retorno do crescimento ao longo do ano passado foi auxiliado pela conjuntura econômica, incluindo a redução da inflação e dos juros básicos da economia, a injeção de recursos das contas inativas do FGTS realizada no 1º semestre, além dos estímulos para a expansão do crédito aos consumidores e o início da recuperação dos empregos e do investimento. Ele afirmou que “as vendas aumentaram 8,1% em relação a 2016. O montante está praticamente igual aos volumes históricos registrados em 2014, quando o varejo de moda no país atingiu o ápice com 6,5 bilhões de peças comercializadas”.

    O panorama favorável também puxou o desempenho da indústria de confecções brasileira, que depende 99% do consumo interno para sobreviver e que, aos poucos, vai se recuperando de sua pior crise em mais de 30 anos, de estatísticas sobre o seu desempenho no país. Houve crescimento de 3,2% da produção de vestuário em 2017 comparado ao ano anterior. Para esse ano, a projeção de expansão é de 0,8% em volume de peças confeccionadas.

  • Setor de shopping centers cresce 4,9% em maio

    De acordo com o monitoramento de mercado da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), a receita nominal de vendas acelerou no mês de maio no comparativo anual, com alta de 4,9%. O Índice Cielo de Varejo em Shoppings Centers – ICVS ABRASCE, também apontou alta de 2,6% da receita nominal. “A alta dos índices, tanto em maio quanto no balanço do primeiro trimestre, são um sinal de continuidade do movimento de crescimento do setor e reafirmam a expectativa da entidade em fechar 2018 com crescimento entre 5% e 6%.”, declarou o presidente da Abrasce, Glauco Humai.

    Considerando o mix de vendas, o maior crescimento foi de lazer/entretenimento, com alta de 26,54%, vestuário 3,71% e alimentação 7,73%. Estes índices têm grande relação com o aumento no ritmo de vendas nas semanas que antecederam o Dia das Mães, segunda data mais importante do ano para o comércio varejista. Segundo o levantamento, a receita nominal apurada no período entre os dias 7 a 13 de maio registrou alta de 6,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.

    O desempenho das vendas em maio só não foi ainda melhor pelos impactos negativos da greve dos caminhoneiros nas últimas semanas do mês, que bloquearam estradas de todo o país, afetando a distribuição de mercadorias. As vendas registraram reduções entre os dias 25 e 28 de maio, com destaque para a forte redução de 28% no dia 27/05 (domingo). Apesar disso, a entidade acredita que não haverá impacto na projeção de crescimento já divulgada (5% a 6%, em 2018).

  • Fracassa o plano de antecipar Black Friday no Brasil.

    O plano para uma mudança na data da Black Friday — que levaria o varejo a reorganizar o calendário de ações no segundo semestre — saiu da mesa de discussão entre redes e entidades, apurou o Valor. O evento promocional ocorre na última sexta-feira de novembro. No ano passado, grandes e médias varejistas e associações do setor começaram a conversa.

    A antecipação poderia melhorar o desempenho do terceiro trimestre, além de reduzir a “canibalização” das vendas de Natal. Alguns varejistas têm reclamado que a Black Friday acaba tirando a força do comércio natalino, principal data do varejo.

    Segundo duas fontes ouvidas pelo Valor, não houve avanços nas conversas nos últimos meses. “Não tivemos maturidade para se avançar num debate. O assunto morreu antes mesmo de conseguirmos criar um caminho que fosse bom para todo mundo”, diz uma fonte a par do assunto. Algumas varejistas de comércio eletrônico se posicionaram contra a antecipação da Black Friday, entre elas, Netshoes e Dafiti. As empresas não comentaram o assunto. Foram favoráveis a discutir a questão varejistas como Grupo Pão de Açúcar, Carrefour, Magazine Luiza e B2W. Mas, mesmo entre estas, não houve unanimidade.

    Sem o 13º salário, que fortalece o bolso do consumidor a partir de novembro e sustenta a venda da Black Friday em novembro, a promoção em setembro poderia virar um “tiro no pé”, segundo um varejista, que observou que este ano as vendas estão muito instáveis (ver gráfico).

    VEJA A NOTÍCIA COMPLETA EM https://www.valor.com.br/empresas/5664585/fracassa-o-plano-de-antecipar-black-friday-no-brasil

  • Shoppings se reinventam com avanço de varejo online no Brasil.

    Por Gabriela Mello SÃO PAULO (Reuters)
    A evolução do comércio eletrônico no Brasil vem ocorrendo mais lentamente que em outros mercado desenvolvidos como Estados Unidos e China, mas já desafia as empresas que atuam no segmento varejista a redesenhar as operações para se adaptarem às mudanças no comportamento do consumidor.

    Nos últimos anos, as operadoras de shopping centers vinham se antecipando ao movimento do ecommerce no país, reforçando a oferta de serviços e opções de entretenimento, além de buscarem alternativas à perda das receitas com estacionamento.

    “O Brasil até largou na frente nesse quesito… O impacto do ecommerce vai ser sentido, mas em menor grau que nos Estados Unidos”, afirmou à Reuters o analista do BTG Pactual, Gustavo Cambauva.

    Segundo o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai, os shoppings no Brasil são mais que centro de compras e não necessariamente precisam competir com o comércio eletrônico.

    Em vez disso, ele aposta que o setor pode assumir papel central no desenvolvimento do ecommerce no país, que ainda esbarra em questões de infraestrutura logística. “O que torna nossos shoppings uma joia é a localização… Eles seriam centros de distribuição perfeitos”, disse Humai.

    Uma das consequências da mudança de hábitos dos consumidores em direção a compras online e da proliferação de aplicativos de transporte como Uber é o recuo na atividade dos estacionamentos dos shoppings, uma das fontes de receitas dos empreendimentos.

    A Multiplan apurou crescimento de 12 por cento na receita de estacionamento de seus shoppings em 2015, conta que recuou para queda de 0,5 por cento no ano passado. Na rival Iguatemi, a linha passou de expansão de 18 por cento para alta de 4 por cento no mesmo período. Já a BRMalls viu a expansão de 11 por cento passar para apenas 0,6 por cento.

    “Na pior das hipóteses convertemos parte dos nossos 570 shoppings em centros de distribuição”, comentou o presidente da Abrasce se referindo ao número de empreendimentos atuais no Brasil.

    A estratégia de olhar os shoppings como centrais de distribuição de produtos espelha a de grandes redes de varejo como a Via Varejo, que está construindo mini galpões em lojas físicas para acelerar os prazos de entrega de mercadorias compradas pela Internet. Isso ocorre num momento em que o setor se esforça para integrar os canais online e offline, enquanto a concorrência se acirra com uma atuação possivelmente mais intensa da gigante norte-americana Amazon no mercado brasileiro.

    No início do ano, a Reuters noticiou que a Amazon estava se reunindo com fornecedores locais de itens eletrônicos, perfumaria e outros produtos, além de negociar a locação de um galpão em Cajamar (SP) e um acordo com a companhia aérea Azul para entrega de mercadorias.

    “Se vem uma Amazon ou um Alibaba podemos negociar que nossos shoppings sejam os centros de distribuição para eles”, afirmou Humai.

    Uma das primeiras administradoras de shopping centers a se aventurar no ecommerce foi a BRMalls, que há cerca de três anos introduziu um projeto piloto em seu Shopping Metrô Santa Cruz, em São Paulo, para entregas de restaurantes da praça de alimentação.

    “Montamos uma central de entregas que fazia a ponte entre gerador de pedidos e as lojas de alimentação… O negócio começou a dar muito certo e percebemos que tinha potencial”, contou o diretor de operações da BRMalls, Vicente Avellar.

    Em 14 de maio, a companhia anunciou investimento não majoritário na plataforma aberta Delivery Center para desenvolver o chamado “ship from mall”, um modelo de entregas que usará shoppings como centros de distribuição.

    O plano é que os 40 empreendimentos da BRMalls estejam integrados à plataforma até o fim de 2019. A parceria não é exclusiva e o projeto foi implementado no início de julho no Shopping Tijuca, no Rio de Janeiro, inicialmente com alimentação. Além disso, outros dois shoppings independentes e um prédio comercial convertido pela Delivery Center estão em operação.

    “Só nos primeiros três meses de operação conseguimos um incremento de 15 por cento das vendas da praça de alimentação”, disse o presidente da Delivery Center, Andreas Blazoudakis, que também é cofundador da empresa de aplicativos para dispositivos móveis Movile.

    De acordo com Blazoudakis, além da BRMalls, a Delivery Center ainda negocia parcerias com outras redes de shopping centers. “Cabem mais duas ou três como acionistas”, afirmou o executivo.

    Ainda no setor, outra empresa interessada em ingressar no ecommerce é a Multiplan, que planeja lançar até o fim deste ano uma versão experimental de um canal de vendas online, o MultiShopping.

    “Vai começar no BarraShopping (no Rio de Janeiro) e depois vamos adicionando novos shoppings ao longo do tempo…A ideia é levar o shopping para casa do cliente”, explicou o diretor vice-presidente financeiro e de relações com investidores da Multiplan, Armando d’Almeida Neto.

    Também procurada pela Reuters, a Iguatemi disse que “está sempre atenta a novas oportunidades de negócio”, mas não informou se estava desenvolvendo ou estudando iniciativas para o comércio eletrônico.

  • Museu Egípcio Itinerante traz cultura egípcia para o Praça Nova

    As relíquias e a cultura egípcia chegaram a Santa Maria. E para desvendar os mistérios dessa civilização milenar, os clientes do Shopping Praça Nova podem conferir a exposição do Museu Egípcio Itinerante até 6 de setembro, na Praça de Alimentação do empreendimento.

    Ao todo são mais de 100 réplicas de obras como estátuas, múmias, sarcófagos, papiros, câmara mortuária de faraós e outros artigos que apresentam uma visão ampla da história egípcia com mais de três milênios de civilização. A exposição permite que se mergulhe em um ambiente milenar, com um Espetáculo de Som e Luz.

    Organizador – O artista e economista, Essam Elbattal, nasceu no Egito em 1970 e desde 1987 é um estudioso da cultura egípcia. Atualmente com um atelier em Porto Alegre e mais de 400 peças em acervo, Elbattal organiza exposições em todo o mundo expondo réplicas e relíquias do Antigo Egito.

    Serviços
    Horário de funcionamento:  Segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo e feriados, das 12h às 20h.

    Ingressos: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 estudantes.

    Para escolas interessadas no espetáculo de som e luz, consultar horários e realizar agendamentos pelo e-mail marketing@ pracanovashopping.com.br ou pelos telefones (55) 9 9192-0095 ou (55) 99984-7826.

  • Nova moda das franquias: abrir em locais inusitados, da garagem ao estádio

    São Paulo – Foi-se o tempo em que os franqueados tinham de se decidir entre abrir uma unidade na rua ou no shopping center. Buscando explorar pontos comerciais menos concorridos (e reduzir de forma inovadora os custos de implantação), diversas redes franqueadoras estão apostando em franquias em locais inusitados, dentro de outros empreendimentos.

    A rede de alimentação Giraffas, por exemplo, lançou contêineres para serem instalados em estradas. Em parceria com o Santander, a argentina Havanna abriu sua primeira loja em uma agência bancária em terras nacionais. Agora, academias, estádios de futebol, lojas de departamento, postos de gasolina e salões de beleza já dividem seus espaços ociosos com franquias.

    De acordo com a Associação Brasileira do Franchising (ABF), 45% dos municípios brasileiros possuem a presença de redes franqueadoras. “Uma estratégia para chegar a essas regiões é oferecer modelos de menor investimento”, afirmou Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF, na abertura da feira de franquias ABF Franchising Expo. “As equipes das franqueadoras têm se especializado, trazendo profissionais focados em novos canais.”

    EXAME conversou sobre o tema com quatro redes franqueadoras presentes na ABF Franchising Expo. O evento, que acontece até o próximo sábado (30), reúne 400 marcas expositoras no Expo Center Norte (São Paulo).

    Garagens

    A rede de cursos profissionalizantes em costura e modelagem de roupas Sigbol Fashion lança na ABF Franchising Expo um modelo para quem quer abrir uma franquia na própria garagem. Em um espaço de 16 m², o franqueado poderá operar a microfranquia sozinho.

    De acordo com o diretor da Sigbol Fashion, Aluízio de Freitas, o modelo é mais indicado para cidades a partir de 50 mil habitantes ou grandes bairros de capitais. “A ideia é dar oportunidade para as pessoas que já tem um pequeno ateliê se tornarem empreendedoras, colocando máquinas de costura e mesas para as aulas.”

    O modelo, chamado Basic Fast, pede um investimento inicial é de 17 mil reais, enquanto o formato mais robusto da Sigbol Fashion pede um aporte de 114,6 mil reais. O prazo de retorno é de seis meses, com faturamento médio mensal de 13 mil reais. A taxa de lucratividade média é de 33% sobre o valor.

    Fonte: Exame PME

  • Grupo Master deve investir mais de R$ 50 milhões em Erechim até o final de 2019

    O recente empreendimento do Grupo Master, o Econômico Center, no bairro Três Vendas não deverá ser o último investimento no município de Erechim. O grupo liderado pela família Sonda tem no seu radar dois novos investimentos até o próximo ano. A construção do seu Centro de Distribuição (CD) e a reformulação do Master da Avenida Sete de Setembro. O cronograma de obras e investimentos do grupo no Rio Grande do Sul e São Paulo tem sido intenso nos últimos anos. Na Capital da Amizade são seis lojas: três com a bandeira Master e três com bandeira Econômico.

    Os próximos investimentos em Erechim devem ultrapassar os R$ 50 milhões e o mais esperado pela população é a ampliação do shopping da Avenida Sete de Setembro. Segundo o diretor de operações, Cláudio Silva, neste empreendimento existe pelo menos seis projetos, porém a direção não fala publicamente sobre qual será o escolhido para execução. O que Cláudio adiantou é que será ampliada a área de lojas, shopping e será feito estacionamento para aproximadamente 700 carros. O CD do grupo Master deverá contemplar uma área de 12.500m².

    Fonte: Jornal Boa Vista

  • Praça Nova é eleito Destaque Comércio pela Cacism

    O Shopping Praça Nova Santa Maria recebeu, nesse dia 28 de junho, o prêmio Destaque Comércio. A distinção foi entregue pelo presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Serviço de Santa Maria – CACISM, Rodrigo Décimo, durante o Jantar dos Destaques, em comemoração aos 121 anos da entidade.

    Presentes para receber o prêmio, o superintendente do Praça Nova, Leonardo Moretti, o gerente de marketing, James Carvalho, e o gerente financeiro, Rodrigo Mocelin, parabenizaram a CACISM por mais um ano de atuação, confiantes no incentivo. “A iniciativa da CACISM é bastante importante para o fomento do desenvolvimento de Santa Maria. O reconhecimento conferido pelo prêmio é um estímulo a mais para continuarmos buscando novas alternativas para o comércio. O Shopping Praça Nova é hoje o maior centro de convivência da região e nosso objetivo é sempre somar novas oportunidades de negócio, entretenimento, cultura e gastronomia para que as pessoas possam se encontrar e encontrar tudo o que precisam em um espaço pensado para elas”, diz Moretti.

    Conheça os agraciados de 2018:

    Destaque Comércio: Shopping Praça Nova Santa Maria

    Destaque Indústria: Metalúrgica Cofelma

    Destaque Prestação de Serviços: Espaço Contábil Região Centro

    Destaque empresário do ano: Magnum Foletto